Início
 
 

Vidas Ubuntu em Arouca

Histórias para contar

 

Um grupo de 18 jovens ADS do Centro Juvenil Salesiano de Arouca, com idades entre os 14 e os 19 anos, teve ocasião de participar num projecto baseado na filosofia Ubuntu, promovido pelo IPAV – Instituto Pe. António Vieira, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

O projecto decorreu durante cinco dias, de 23 a 27 de Março, na Biblioteca Municipal de Arouca e teve o apoio da Diretora do Agrupamento de Escolas de Arouca que, em Abril próximo vai também aplicar a uma das turmas do 7º Ano este mesmo projecto.

Filosofia Ubuntu

 

Ubuntu é uma filosofia humanista de origem  africana, uma ideologia altruísta baseada na importância da comunidade e nos valores da solidariedade, da partilha, da confiança e da hospitalidade, pondo em relevo o relacionamento entre pessoas e partindo do princípio de que ninguém é uma ilha e ninguém pode viver em isolamento.

Segundo a filosofia Ubuntu uma pessoa só pode ser pessoa através de outras pessoas, daí o lema: “Eu sou porque tu és”.

Histórias de vida

 

Seguindo a filosofia Ubuntu, os jovens ADS, acompanhados de três formadores do IPAV, realizaram diversos Workshops durante cinco dias que culminaram na apresentação de um pequeno vídeo individual sobre a sua história de vida.

Ao longo do processo da construção da sua história de vida os jovens foram convidados a partilhar com os outros algo que considerassem relevante, desde episódios, sonhos, frustrações, até momentos marcantes da própria vida.

Ao longo de 5 módulos, com a duração de cerca de 8 horas cada um, os jovens aprenderam a ouvir e a saber escutar, foram motivados para a expressão de sentimentos ou de momentos da própria vida, sempre numa perspectiva construtiva e positiva e desenvolveram um processo de autoconhecimento e de descoberta e valorização dos próprios recursos pessoais, como instrumento de projectarem o seu futuro.

Depois desta partilha oral passou-se à construção do guião da própria história, escolha de imagens a serem utilizadas e edição da respetiva história digital.

Histórias para contar

 

O último módulo deste projeto consistiu na apresentação pública dos vídeos das histórias de vida de cada um dos participantes. A projeção decorreu na Biblioteca Municipal, na passada 6ª feira, dia 27 e para ela foram convidados os animadores dos jovens ADS do Movimento Juvenil Salesiano de Arouca.

Por estas histórias de vida contadas na 1ª pessoa passaram casos de morte de entes queridos; sonhos, frustrações e lutas para os concretizar; dificuldades de adaptação a novas situações; ânsias perante incertezas; atitudes de determinação em não desistir perante dificuldades ou contrariedades; situações de rebeldia face a à ausência  de ambiente familiar estável; problemas de bulling ou de stress motivados por competição escolar; a passagem pelos falsos paraísos do mundo da droga e a decisão de se afastar desse perigo; enfim, pequenas histórias que “podem mudar a forma como vemos o mundo” tal como defende  o projeto “Vidas Ubuntu” promovido pelo IPAV.

Após a apresentação destas histórias de vida foi feita a projecção de imagens de alguns dos momentos vividos ao longo destes cinco dias. Foi feita também a entrega de um vídeo a cada participante contendo a sua própria história e entregues aos animadores alguns documentos sobre o projecto Ubuntu.

Segundo a opinião geral  dos participantes esta foi uma experiência muito enriquecedora que os motivou e entusiasmou â expressão de sentimentos e experiência da própria vida: “Não tenho palavras para descrever este projeto, foi uma semana muito bem passada juntamente com os meus colegas. O impacto que esta atividade teve foi sobretudo ao nível das relações interpessoais e na partilha, mas também na relação de confiança entre os vários colegas.

Reparei também que durante esta semana todos os meus colegas se entregaram de alma e coração ao projeto, e isso reflete-se muito bem na qualidade do projeto final.

Podemos ainda ter um curto trajeto de vida mas todos nós temos uma história para contar.

Queria agradecer uma vez mais a todos os responsáveis por este projeto, e espero que continuem com estas iniciativas de grande qualidade.”(Tiago Pinho)

José Cerca